segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Evite a intoxicação alimentar no verão

Quem já teve, não esquece. Quem nunca teve, deve prevenir.

A intoxicação alimentar, bastante comum nessa época do ano, é uma doença infecciosa que acomete pessoas que tenham consumido alimento contaminado seja por parasitas, bactérias e fungos ou pelas toxinas produzidas por estes microorganismos. No entanto, as infecções bacterianas são responsáveis pela maioria dos casos de intoxicações alimentares.

Esses microorganismos podem contaminar os alimentos durante o processo de manipulação ou de preparo, sendo que as temperaturas mais elevadas do verão tornam a deterioração do alimento mais rápida ainda.

Tenha cuidado, pois na maioria das vezes a comida contaminada que provoca a intoxicação quase sempre tem a aparência, cheiro e gosto normais.

Os sintomas da intoxicação alimentar variam bastante e entre eles estão: dores de cabeça, cólicas, náuseas, vômitos, diarréia, mal estar e até febre.

Normalmente a intoxicação alimentar regride espontaneamente, porém pode ser perigosa para crianças menores, idosos, gestantes ou pessoas com imunidade comprometida, pois esses são mais suscetíveis à desidratação que com bastante freqüência ocorre.

Para evitar problemas relacionados à alimentação, as pessoas devem observar, principalmente, como são conservados os alimentos e como estão expostos a agentes deteriorantes, como o calor e a manipulação humana. Não esqueça que a falta de cuidados com a higiene e com o armazenamento de alimentos vendidos nas praias levam à intoxicação.

Confira abaixo algumas dicas para evitar que a intoxicação alimentar estrague as suas férias:
  • Não consumir frios os alimentos que deveriam ser servidos quentes.
  • Dar preferência a frutas e alimentos leves. Não se esqueça de higienizá-los.
  • Preferir os alimentos assados aos fritos, pois o óleo pode ter sido reutilizado muitas vezes.
  • Evitar consumir maionese, pois ela estraga rapidamente se conservada em temperatura inadequada.
  • Evitar sanduíches recheados com frango, a não ser que estejam refrigerados adequadamente. Prefira os recheados com atum ou peito de peru, que são industrializados e mais difíceis de serem contaminados.
  • Consumir frutos do mar apenas se estiverem bem cozidos, evitando ao máximo os vendidos por ambulantes e expostos ao sol.
  • Alimentos expostos ao calor correm o risco de deterioração pelo tempo de armazenamento fora da geladeira.
  • Observar a higiene do ponto de venda, dos utensílios e de quem os prepara, pois dessa maneira é possível minimizar e até eliminar os riscos de contaminação.
Lembre-se de que esses pequenos cuidados com a sua alimentação podem evitar uma intoxicação alimentar que provavelmente estragaria as suas férias. Aproveite-as!

Nenhum comentário:

Postar um comentário