segunda-feira, 19 de julho de 2010

Obesidade infantil

Pesquisa realizada pela Universidade Federal de São Paulo mostrou que o Brasil ultrapassou os Estados Unidos em matéria de obesidade infantil entre 2 e 5 anos de idade.

28% das crianças brasileiras nessa faixa etária estão acima do peso ideal, enquanto que nos Estados Unidos – considerado o país mais gordo do mundo – esse número cai para 20%.

Os principais culpados são os maus hábitos alimentares e o sedentarismo.

É importante lembrar que os hábitos alimentares começam a ser criados na infância e que dificilmente uma pessoa que cresce ingerindo alimentos que não são saudáveis se adaptará a ter uma alimentação adequada e equilibrada no futuro.

Além disso, acontecem alterações de ordem metabólica ainda mais difíceis de reverter, fazendo com que a criança gordinha torne-se um adulto com facilidade de engordar e dificuldade de emagrecer por toda a vida.

Está ficando cada vez mais comum encontrarmos crianças e jovens com doenças crônicas que antigamente eram consideradas doenças de adultos, como diabetes tipo 2, hipertensão, níveis de colesterol e triglicerídeos alterados, além de problemas nas articulações.

Lembre-se, também, que criança fofinha não é sinal de saúde. Através de uma alimentação inadequada, ocorre carência de diversos nutrientes essenciais e excesso de substâncias que prejudicam a saúde.

O risco de uma criança gordinha se tornar um adulto obeso aumenta exponencialmente quanto mais se demora para tratar o problema.

Na figura estão as porcentagens de risco de uma criança se tornar um adulto obeso conforme os anos vão passando:

Fonte da figura: Revista Veja.

Um comentário:

  1. Qual o estudo feito pela Universidade, você teria o título do trabalho

    ResponderExcluir