quarta-feira, 26 de maio de 2010

Carne processada

Divulgado no último dia 17, um estudo realizado pela Universidade de Harvard (EUA) associou o consumo de carne vermelha processada com um aumento em 42% no risco de desenvolver doenças cardiovasculares e em 19% de desenvolver diabetes tipo 2.

Os resultados mostraram que em média 50g de carne processada por dia estão associadas a esse maior risco. Para termos uma idéia, uma salsicha tem em torno de 40-50g e uma fatia de bacon tem cerca de 15g.

Em contraste, os pesquisadores não encontraram os mesmos riscos entre os indivíduos que consumiam carne vermelha não processada, como de boi, porco ou cordeiro.

Foram definidas como carnes processadas aquelas que são defumadas, curadas ou salgadas para fins de preservação, ou que recebem conservantes químicos; como por exemplo: bacon, salsicha e cortes defumados. Fontes protéicas de vegetais, aves e frutos do mar não foram avaliados nesse estudo.

Como as carnes processadas e as não processadas continham em média quantidades similares de gordura saturada e colesterol, os pesquisadores sugeriram que o sal e os conservantes podem ser os responsáveis pelos danos, na medida em que as carnes processadas continham em média quatro vezes mais sódio e 50% a mais de conservante a base de nitrato.

Por fim, os autores afirmam que a partir desses resultados devem ser estudados os tipos de carnes separadamente em futuras pesquisas para possíveis relações com a saúde.

Enquanto isso, atenção ao consumo!

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Dia nacional do café

Hoje se comemora o dia nacional do café.

O café é uma das bebidas mais consumidas e apreciadas em todo mundo.

É fonte de cafeína, um estimulante do sistema nervoso central.

Na sua composição ainda estão presentes substâncias como aminoácidos, vitaminas, minerais e polifenóis (com ação antioxidante).

Estudos recentes têm indicado que o consumo habitual de café está associado a um menor risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2.

Além disso, a maioria das evidências atuais sugere que a ingestão regular de café não aumenta o risco de hipertensão e doenças cardiovasculares.

Sabe-se que o consumo do café ativa o sistema de vigília e eleva a atenção e a concentração.

O café não causa úlcera ou gastrite, mas deve ser evitado por pessoas que possuem estas doenças.

Como tudo que consumimos, o excesso pode estar associado a efeitos maléficos ao nosso organismo. Assim, o ideal é ter moderação.

A cafeína em excesso pode deixar a pessoa mais nervosa, irritada e com dificuldades para dormir, além de aumentar o risco de taquicardia, palpitações, ansiedade, tremores e dores de cabeça.

Uma dica importante é não consumi-lo se o seu estômago estiver vazio. E cuidado com o uso de açúcar e adoçante!

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Banana

É comum as pessoas pensarem que a banana é uma fruta que engorda e suspendê-la durante o processo de emagrecimento.

Porém, esta fama adquirida não é verdadeira.

A banana pode até ser uma fruta mais calórica quando comparada a outras; no entanto, ela apresenta alto valor nutritivo e proporciona diversos benefícios para o nosso organismo, auxiliando no seu bom funcionamento e na prevenção de doenças.

Ela é considerada energética por apresentar uma quantidade significativa de carboidratos; entretanto, não possui gorduras.

Entre os carboidratos presentes, estão as fibras do tipo solúvel, que se ligam à água formando uma espécie de gel, tornando a digestão mais lenta e aumentando o tempo de saciedade. Além de ajudar na regulação do intestino.

A banana possui diversas vitaminas: A, C, B6 e K.

A principal é a vitamina B6, essencial ao nosso organismo, sendo que a sua deficiência pode provocar insônia, fraqueza e irritabilidade, além de imunidade prejudicada.

A banana também possui minerais como cálcio, potássio e magnésio,

O principal é o potássio, nutriente imprescindível para os músculos, inclusive o cardíaco. Além disso, o consumo de potássio está relacionado com a diminuição de cãibras e da pressão arterial.

Ainda, a banana apresenta uma quantidade significativa de triptofano, um antidepressivo natural que mantém os níveis de serotonina no cérebro e melhora o humor.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Hipercolesterolemia (colesterol alto)

A hipercolesterolemia é caracterizada pelo aumento do colesterol total circulante no sangue, podendo ser classificada de acordo com a sua etiologia:

- Primária: relacionada a alterações genéticas e ambientais.
- Secundária: associada a outras doenças ou uso de medicamentos.

Normalmente, está associada ao excesso de peso, ao sedentarismo, à alta ingestão de alimentos ricos em gorduras e à baixa ingestão de fibras devido a uma alimentação inadequada, caracterizando um problema de ordem ambiental.

Entretanto, qualquer pessoa pode ter o colesterol elevado mesmo que seja uma pessoa ativa, magra, criança ou jovem. Nesses casos, é necessário realizar avaliação específica para descobrir a causa.

A grande questão dessa doença é que ela é silenciosa e apresenta manifestação em estágios mais avançados, sendo uma das principais causas de doenças cardiovasculares.

Assim, o colesterol elevado pode originar doenças como:
- Aterosclerose: formação de uma placa resultante dos depósitos de colesterol na parede das artérias.
- Angina de peito: devido a uma obstrução das artérias que transportam o sangue para o coração.
- Ataque cardíaco ou infarto agudo do miocárdio: devido a um bloqueio na artéria coronária.
- Acidente vascular cerebral ou AVC: devido a um bloqueio ou ruptura de um vaso sanguíneo que transporta o sangue para o cérebro.

Para a hipercolesterolemia, existe tanto o tratamento medicamentoso quanto o tratamento nutricional.

O último consiste em modificações no estilo de vida, incluindo:
- Evitar a ingestão de alimentos ricos em gordura saturada (alimentos de origem animal).
- Aumentar a ingestão de alimentos ricos em fibras (frutas, verduras, cereais integrais).
- Manter-se com o peso adequado.
- Praticar atividade física.

Clique na figura para visualizar a explicação da formação da placa de ateroma e aterosclerose na artéria coronária, causando infarto agudo do miocárdio.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Entenda sobre o colesterol


O que é colesterol?
É um tipo de gordura encontrada normalmente nas membranas celulares de todos os tecidos animais.

Quais são as funções do colesterol?
- Formação e função das membranas celulares.
- Metabolismo das vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K).
- Precursor da vitamina D.
- Precursor de vários hormônios, incluindo os sexuais.
- Precursor de ácidos biliares.

Quais são as fontes de colesterol?- Fontes exógenas: alimentos de origem animal, como carnes, vísceras, frutos do mar, ovos, leites e derivados (manteiga, queijos, creme de leite), além dos produtos que contenham esses alimentos como ingrediente.
- Fonte endógena: próprio organismo produz.

O que é o colesterol ruim?É o LDL (lipoproteína de baixa densidade).
Transporta o colesterol do fígado para as células de vários outros tecidos.
Esse tipo é responsável pela formação de placas de gordura nas artérias, o que prejudica a passagem de sangue e aumenta o risco de infarto, derrame cerebral e entupimento das artérias nas pernas.

O que é o colesterol bom?É o HDL (lipoproteína de alta densidade).
Transporta o colesterol das células para o fígado, eliminando-o através da bile e das fezes.
Esse tipo remove o excesso do colesterol no sangue reduzindo o risco de formação das placas de gordura. Quanto mais alto seus níveis, melhor. Níveis baixos de HDL aumentam o risco de desenvolvimento de doenças cardíacas como infarto do miocárdio.

Quais são os valores de referência para o colesterol?De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia são:
- Colesterol total (HDL + LDL): menor que 200 mg/dL.
- LDL: menor que 100 mg/dL.
- HDL: maior que 40 mg/dL (homens) e maior que 50 mg/dL (mulheres).