quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Enjoo durante a gestação

A ocorrência de náuseas e vômitos são comuns na gravidez, especialmente durante os três primeiros meses (primeiro trimestre).

Acredita-se que a causa dos enjoos seja devido ao aumento brusco de hormônios nesse momento, sendo geralmente leves e desaparecendo naturalmente após a primeira metade da gestação.

É importante saber que os enjoos não têm nenhuma relação com a saúde do bebê e que, em muitos casos, apenas indicam que se deve evitar determinados alimentos. Porém, quando as náuseas e os vômitos são severos, levando à perda de peso e líquidos, um médico deve ser procurado imediatamente.

Abaixo estão algumas dicas para a gestante se sentir melhor quando está nessa fase:
- Repousar sempre que puder.
- Evitar entrar em contato com odores (perfumes, desinfetantes) que causem irritação ou mal-estar.
- Fazer 5 a 7 refeições por dia, ao invés de 3 refeições grandes.
- Comer uma bolacha de água e sal pela manhã antes mesmo de se levantar da cama.
- Evitar alimentos apimentados, condimentados ou muito gordurosos.

Além disso, abaixo estão algumas dicas para melhorar o processo de digestão (que fica mais lento durante a gravidez) e é uma das maiores causas de enjoos:
- Usar roupas confortáveis e larguinhas, evitando que apertem a região da barriga.
- Alimentar-se várias vezes por dia, não comer correndo e mastigar bem os alimentos.
- Não deitar após comer (por pelo menos uma hora).

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Coração dos gaúchos está em risco

Complementando a postagem anterior, eu irei escrever sobre uma reportagem do Jornal Zero Hora de hoje que tem como manchete “Coração dos gaúchos está em risco”.

Chegou-se a essa conclusão através de uma pesquisa realizada pela Sociedade de Cardiologia do Rio Grande do Sul, divulgada ontem, com um total de 1,5 mil entrevistados acima de 16 anos em 25 municípios do Estado.

Dessa forma, os resultados encontrados demonstram que o coração dos gaúchos está em risco, por haver um grande número de gaúchos que apresentam fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Entre esses fatores estão:

- 16% dos entrevistados estão com obesidade e 34% estão com sobrepeso, totalizando 50% dos gaúchos com o peso acima do ideal para a sua altura. Entre as pessoas acima dos 45 anos, esse valor aumenta para 60%.

- 22,9% dos entrevistados afirmaram serem fumantes atualmente e outros 17,9% relataram já terem sido dependentes, totalizando 40,8%. O maior número de fumantes está entre os homens (com um grande aumento entre as mulheres) e as pessoas com menor escolaridade e menor renda.

- 45,1% dos entrevistados não praticam atividade física, sendo que 58,4% não praticam exercícios físicos regulares. O percentual de praticantes é maior entre os homens.

- 21,8% dos entrevistados apontaram estar cansados, estressados ou sobrecarregados frequentemente e 30,6% ocasionalmente, totalizando 52,4%. As mulheres e as pessoas com idade acima de 45 anos foram os que mais relataram.

- 19,7% dos entrevistados apresentaram pressão alta/hipertensão. Quando divididos por faixa etária: 13% dos entrevistados com idades ente 25 e 44 anos afirmaram ter pressão alta, 28% das pessoas com idades entre 45 e 59 anos e 48% das pessoas com mais de 60 anos.

- 57,3% dos entrevistados relataram ter ou não saber se tem algum problema cardíaco.

A pesquisa está disponível no site http://www.institutomethodus.com.br/

terça-feira, 21 de setembro de 2010

57% dos adultos gaúchos estão gordos

Recebi um e-mail do Conselho Regional de Nutricionistas com essa manchete e não tive como não lê-la e compartilhá-la com vocês.

De acordo com a notícia, 57,8% dos gaúchos com idade entre 20 e 60 anos estavam acima do peso recomendado para a altura no ano passado (período em que os dados foram coletados).

Desse valor, 31,8% estavam com sobrepeso e 26% já eram considerados obesos.

Os dados (peso e altura) foram coletados entre a população atendida em unidades básicas de saúde de todo o Brasil e, a partir disso, o Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional do Ministério da Saúde emitiu relatórios de acordo com critérios como faixa etária e região do país.

Assim, com base em informações sobre 178,6 mil gaúchos, concluiu-se que o Rio Grande do Sul ocupa o primeiro lugar no ranking nacional de excesso de peso.

A Secretaria Estadual da Saúde considerou esses dados parciais por dois motivos principais:
- Não são todos os municípios que estão incluídos.
- As famílias de maior poder aquisitivo costumam procurar atendimento na rede particular.

De qualquer forma, imagina-se que esses valores sejam ainda maiores.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Frango à parmegiana

Ingredientes
- 2 filés de peito de frango
- 1 colher de chá de azeite de oliva
- 4 castanhas do Pará trituradas
- 1 colher de sopa queijo parmesão light ralado
- Suco de 1 limão
- Sal e pimenta do reino a gosto
- 2 fatias de queijo mussarela light
- 1 xícara de chá de molho de tomate fresco
- 1 colher de chá de orégano

Modo de fazer
- Tempere os filés com suco de limão, sal e pimenta do reino.
- Pincele o azeite de oliva e polvilhe a castanha do Pará.
- Forre uma assadeira com papel alumínio e coloque os filés.
- Leve ao forno, preaquecido a 180 graus, por 20 minutos ou até dourar.
- Retire do forno, cubra com a mussarela e regue com o molho de tomate.
- Polvilhe o orégano e o parmesão.
- Volte ao forno por 10 minutos ou até gratinar.

Principais benefícios
- Proteínas de alto valor biológico presentes no frango.
- Gordura de boa qualidade presente no azeite de oliva.
- Castanha do Pará contém o mineral selênio e a vitamina E.
- Diminuição de gorduras presentes nos queijos – a versão light contém menos.
- Molho de tomate contém licopeno.

Sugestões de acompanhamento
- Arroz integral.
- Salada verde com cenoura ralada.

A receita foi retirada da coluna Na cozinha da Bete do Jornal Zero Hora de hoje. Portanto, eu ainda não a testei. Se alguém testar antes, compartilhe conosco!

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Enxaqueca e Nutrição

A enxaqueca é desencadeada por uma reação inflamatória imprevisível em volta dos vasos sanguíneos das meninges (membranas que protegem o cérebro).

É considerada uma doença genética e crônica que apresenta diversos fatores desencadeantes, que variam de pessoa para pessoa.

Fatores alimentares estão relacionados com a doença, tornando-se importante a identificação de alimentos que poderiam estar ocasionando uma crise para, assim, evitá-los.

Alguns dos alimentos mais citados como desencadeantes da enxaqueca são:

- Açúcar e doces.

- Bebidas alcoólicas.

- Adoçantes, principalmente o aspartame.

- Glutamato monossódico, utilizado para acentuar o sabor de diversos alimentos industrializados, como sopas de pacote, caldos e temperos.

- Nitritos, utilizados para realçar a coloração e o aspecto dos alimentos, presentes principalmente em embutidos como salsichas e linguiças.

- Cafeína, presente principalmente no café, chá preto, chimarrão, refrigerantes a base de cola.

- Alimentos que contêm tiramina, como queijos curados, carnes processadas, bebidas alcoólicas, lentilha, amendoim e sementes.

Além disso, comportamentos alimentares inadequados como o jejum prolongado também pode desencadear o problema.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Filezinhos de peixe grelhados

É comum as pessoas relatarem não ingerir peixes por não saber como prepará-lo, optando pela versão à milanesa. Assim, abaixo está uma receita simples e nutritiva, utilizando pouco sal e gordura. Além disso, é uma forma de consumir vegetais para os que não são fãs de salada.

Ingredientes
- ½ kg de peixe em bifinhos finos
- 1 cebola cortada em fatias grossas
- ½ pimentão verde em tiras
- ½ pimentão vermelho em tiras
- 6 raminhos de brócolis
- 6 raminhos de couve-flor
- 5 vagens de ervilha torta em pedaços
- 1 cenoura cortada em palitos curtos
- 1 colher de chá de sal
- Suco de um limão
- 3 colheres de sopa de azeite de oliva

Modo de fazer
- Temperar os bifinhos com metade do sal e o suco de limão. Deixar no tempero enquanto preparar os legumes.
- Aquecer o azeite (usar uma frigideira antiaderente grande) e grelhar os filezinhos em fogo forte (escorrer o líquido antes). Reservar.
- Refogar os legumes na mesma frigideira, em fogo forte, com o restante do sal. Não deixar amolecer.
- Colocar os legumes por cima dos bifinhos em uma travessa e servir.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Caminhe mais!

Em homenagem ao dia do profissional de Educação Física, comemorado hoje, irei postar um artigo do ano de 2003, mas que eu li recentemente e gostaria de dividir com vocês sobre a importância da prática de exercício físico.

O estudo teve como objetivo verificar a associação entre atividade física de lazer e incidência de câncer de mama em um grupo de quase 75 mil mulheres adultas na pós-menopausa (idade entre 50 e 79 anos) que foram acompanhadas por quase 5 anos.

Entre os principais resultados estão:

- Mulheres (independentemente do peso) que se exercitaram aproximadamente 1,25 a 2,5 horas por semana de caminhada rápida ou exercício equivalente ou mais horas de exercício de menor intensidade tiveram uma redução de 18% no risco de desenvolver câncer de mama em comparação às mulheres sedentárias.

- Quando separadas em grupos de acordo com o índice de massa corporal (IMC), as mulheres com IMC adequado tiveram redução de 30% no risco de desenvolver câncer de mama, com a mesma atividade física citada acima.

- Mulheres (independentemente do peso) que fizeram mais de 7 horas por semana de atividade física moderada/extenuante tiveram um risco 21% menor de desenvolver câncer de mama em comparação com mulheres sedentárias.

Dessa forma, os resultados sugerem que a inatividade física pode ser um fator de risco modificável para as mulheres na pós-menopausa. Isso significa que uma pequena mudança na rotina pode diminuir consideravelmente a possibilidade de desenvolver câncer de mama.

No artigo, é descrito detalhadamente a maneira como as mulheres foram selecionadas e os critérios utilizados para avaliá-las. Se alguém quiser mais informações, o artigo na íntegra está disponível em http://jama.ama-assn.org/cgi/content/full/290/10/1331